terça-feira, 25 de janeiro de 2011

O direito à repetição

Eleição após eleição, há sempre um qualquer lugar que usa e abusa do boicote ao processo eleitoral para protestar contra algo. Pessoalmente considero que o problema consiste em dar-lhes hipótese de repetição ou mesmo dar-lhes tempo de antena, porque não mereciam nem uma coisa nem outra. Há meios próprios para exprimir cada protesto e eu acho este completamente despropositado e inadequado.

No entanto, quem no Domingo passado não conseguiu obter o seu número de eleitor, e portanto foi "boicotado" pela ineficácia do sistema, não teve direito à repetição do acto eleitoral. Porém, bastava que recolhessem os números de eleitor de quem os tentou obter (será que o sistema faz logging?), que confirmassem se votaram ou não (revisão dos cadernos eleitorais) e que fizessem uns cadernos reduzidos apenas para os eleitores que não votaram por deficiência técnica. Desta forma seria possível minimizar a falha ocorrida.

Mas será que há realmente alguém interessado em fazer isto, ou estão apenas todos entretidos a fazer "estardalhaço político", completamente alheados dos interesses dos potenciais votantes que não o puderam chegar a ser? E, entretanto, dá-se uma 2a hipótese de voto a quem deliberadamente boicotou o sistema ...

Um comentário:

  1. Eu acho que a onda é a do "estardalhaço político"... infelizmente.

    ResponderExcluir

Atire a sua pedra, vá!