quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

A Via Verde, a SIBS e os limites do surrealismo

Imagine que, por uma razão qualquer, associa um seu cartão multibanco (MB) a um identificador Via Verde. Pode fazê-lo facilmente numa caixa multibanco. Só precisa de saber o número do identificador e ser dono do cartão MB. Não precisa sequer de ser dono do identificador, para a Via Verde o que interessa é que haja quem pague, não interessa quem.

Como eu disse acima, para a Via Verde o que interessa é que haja quem pague, não interessa quem. E a última coisa que eles querem é que não haja quem pague. Portanto, não querem de forma nenhuma que haja identificadores sem uma conta de débito associada. E, portanto, não permitem que um cartão MB seja desassociado de um identificador Via Verde. Pode-se associar outro, mas não desassociar o actual.

Esta situação é inqualificável. Imagine, por exemplo, que as empresas de aluguer de automóveis facultavam um identificador em cada viatura e que o alugador, no acto do aluguer, associava o seu cartão MB ao identificador. Uma vez terminado o aluguer, o alugador não poderia quebrar o vínculo ao identificador de Via Verde, ficando refém do que no futuro terceiros fizessem com o identificador.

Como já devem estar a calcular, passei por esta necessidade (de anular uma associação entre um cartão MB e um identificador Via Verde) e não o consegui fazer. Num terminal multibanco tal não é facultado. No banco emissor do cartão é totalmente impossível, porque os pagamentos da Via Verde são feitos por pagamentos de baixo custo, e não por débitos directos, e portanto não é possível fazer qualquer controlo do lado do banco (nem sequer é possível proibir os pagamentos de baixo custo). Contactado o apoio ao cliente telefónico da Via Verde, e depois de uma longa e tensa conversa, foram-me dadas três soluções: (1) pedir ao dono do identificador para associar outro cartão MB, (2) pedir ao banco para não fazer os pagamentos ou (3) anular o cartão. Por mais que eu lhe explicasse que a solução 1 dependia de terceiros e não me dava garantias, a solução 2 não é possível e a solução 3 obviamente não me agrada nem me é conveniente, a senhora recusou-se a reconhecer os meus argumentos e repetiu ad náusea essas três soluções.

Uma vez que o banco não me podia resolver o problema e a Via Verde não me queria resolver o problema, contactei a SIBS por mail. Numa primeira resposta, foi-me dito (sic) “Em caso de cancelamento deverá solicitar à Via Verde.”. Respondi que já o tinha feito e que a minha pretensão não tinha tido acolhimento. Numa segunda resposta, foi-me dito (sic): “Por requisitos do serviço não é possível a sua desassociação/cancelamento via MB. Sugerimos que entre em contacto com a Via Verde a fim de procederem ao cancelamento do identificador.”. E assim atingimos o domínio do surrealismo!

A conclusão desta iniciativa é que uma vez associado um cartão MB a um identificador Via Verde, a associação só pode ser quebrada sem substituição se se: (1) anular o cartão ou (2) cancelar o identificador.

Será que estou a exagerar ou estamos perante um claro abuso por parte da SIBS e da Via Verde? Notem que a principal responsabilidade é da SIBS, porque apenas usando os métodos de verificação de posse de um cartão MB (PIN) é possível fazer a desassociação, a Via Verde dificilmente o pode fazer porque poderia abrir o flanco a iniciativas de negação de prestação de serviço. Mas obviamente não interessa à Via Verde que se faculte a desassociação, e portanto a SIBS não o faculta a pedido do cliente (Via Verde). E, claro, quem fica prejudicado é o cliente de todo este sistema!

4 comentários:

  1. Ai jajus!!

    Eu tb estou metido nesta alhada...

    ResponderExcluir
  2. a via verde abusa da sua posição dominante.
    Eu substitui uma bateria, e andam desertinhos para me "comer", pois dizem que "violei" o aparelhometro...embora ele seja meu, mas fi-lo porque me desloquei em dia de feriado municipal a uma das lojas, que fica a mais de 70 km da minha casa. Apresentei queixa, pois pergunto eu, como é que um loja que serve uma região e não o município onde se insere, encerra no dia do feriado municipal? Porque é que não posso substituir a bateria onde eu quero...nomeadamente eu, porque faço mais soldaduras numa ano de vida do que todos os "técnicos" da via verde juntos, farão em toda a sua vida?
    É sempre a prejudicar o cliente, porque o cliente já os favorece ao ter via verde, mas como não chega, é preciso lá ir largar o guito de cada vez que aquilo está com a bateria fraca.

    ResponderExcluir
  3. Eu tentei alterar a forma como são feitos os débitos directos, preferia que fosse debitado quando usasse ou só uma vez por mês ao final do mês, assim é mais chato de controlar, com vários débitos "aleatórios" ao longo do mês... Disseram que não é possível mudar...

    ResponderExcluir
  4. Boa Nova a todos os nossos clientes
    Porque, assim como muitos de vocês que estão realmente interessados em obter esta placa do cartão ATM para uma mudança de vida opptunity, não se preocupe mais porque dão a este cartão para uma unidade do preço do 4 outubro - 20 dezembro. Assim a pressa agora e ter certeza de obter um agora. Isso é real, uma vez que você paga para obter o seu cartão dentro de 18 horas. Não perca esta oportunidade de se tornar rico. Obter este cartão agora a sua grande festa de Natal. Esta não é uma farsa e as nossas linhas estão abertas 24 horas por dia. você pode chamar-nos em 2348138975303 ou 2348104535976 enviar mensagens WhatsApp ou e-mail para unlimitedhackersnetwork@gmail.com
    Não perca esta grande oportunidade esperando por sua resposta.

    Para o seu preço do cartão e durações
    VERVE CARTÃO 15.000 € por mês, mas para € 400
    MESTRE SMART CARD 25.000 € por mês comprá-lo por 600 €
    MESTRE CARTÃO DE DÉBITO 30.000 € por mês comprá-lo por 750 €
    Visa Master Card 40.000 € por mês comprá-lo por 1000 €
      Todos os nossos cartões expira após 1 ano

    ResponderExcluir

Atire a sua pedra, vá!